13-10 | Série Revista Isto É – Caserna de luxo

Num dos bairros mais caros do Pas, o Exrcito vai construir condomnio de luxo para um seleto grupo de generais e cobrar preos camaradas

Claudio Dantas Sequeira

caserna1


TERRA CARA
A rea onde o prdio ser construdo tem preo
mdio de R$ 10 mil o metro quadrado

Um grupo de generais reuniu-se, h duas semanas, em Braslia, para discutir um tema sigiloso. Nada a ver com eventuais ameaas segurana nacional. Estavam ali para tratar de negcios privados. Mais especificamente da construo de apartamentos de luxo no recm- criado Setor Habitacional Noroeste, um dos bairros mais caros do Pas. Ali, qualquer empreendimento no sai por menos de R$ 10 mil o metro quadrado, mdia mais alta do que a de bairros ricos, como os Jardins, em So Paulo. Mas esses oficiais pagaro pelos imveis a metade do preo de mercado. Contaro com financiamento em condies privilegiadas e ainda podero faturar alto com a venda dos apartamentos por mais que o dobro do valor de compra segundo projees do prprio mercado imobilirio. Um negcio para camaradas.

Quem est frente do projeto um general reformado, o presidente da Fundao Habitacional do Exrcito (FHE), Clvis Burmann, que ocupa h 14 anos o cargo. A transao est gerando polmica nas Foras Armadas, principalmente pelo sigilo com que vem sendo tratada. Qualquer investimento deve ser debatido em assembleia convocada em dirio oficial, o que no ocorreu. Ningum sabia desse edifcio no Noroeste, reclama o presidente da Cooperativa Habitacional dos Militares das Foras Armadas (Coohamfa), Tiago Pereira da Silva.

caserna2

CONFORTO
O comandante da FAB, Juniti Saito, pretende
comprar um dos apartamentos

De fato, apenas alguns generais de quatro estrelas foram convidados por Burmann para investir no projeto. Fontes militares confirmaram ISTO que foi fechada uma lista de 48 nomes, dentre os quais estariam militares de alta patente da reserva e, principalmente, da ativa. O comandante da Aeronutica, Juniti Saito, foi um dos convidados a integrar o seleto grupo de investidores e, de acordo com a assessoria de imprensa da FAB, o brigadeiro est analisando o projeto e pretende adquirir uma unidade. A FHE, no entanto, no informa quem so os outros militares que, como Saito, esto prestes a fechar o negcio. No podemos dizer quem so os investidores porque o projeto ainda no foi lanado oficialmente, alega o diretor de crdito imobilirio da Poupex (Associao de Poupana e Emprstimo), Jos de Castro Neves Soares. A Poupex, segundo Soares, uma instituio financeira de crdito imobilirio, que capta recursos de poupana junto ao pblico em geral e gerida pela Fundao Habitacional do Exrcito. O presidente da Poupex o mesmo general reformado Clvis Burmann, da FHE. Ele no v conflito de interesses no caso.

O prdio da FHE no Noroeste ter seis andares, conforme o padro brasiliense, e apartamentos de 120 a 180 metros de rea til, com acabamento de primeira, lazer integrado e tecnologia ecolgica, como aquecimento solar, reaproveitamento de gua e pr-tratamento de esgoto. Em uma das reunies dos militares que entraram no negcio, um oficial chegou a sugerir a construo de uma piscina olmpica no condomnio. Mas foi dissuadido pelo arquiteto, que, para no encarecer o projeto, sugeriu uma piscina mais modesta, com 25 metros de extenso. O preo dos apartamentos do futuro edifcio, que ganhou o apelido de paraso dos generais, deve girar em torno dos R$ 5 mil o metro quadrado. Nosso preo mais baixo porque no inclumos a margem de lucro do incorporador, afirma Soares. A explicao, no entanto, no convence o presidente da Associao do Mercado Imobilirio do Distrito Federal (Ademi), Adalberto Valado. Ningum consegue comprar, construir e vender um imvel no Noroeste a R$ 5 mil o metro quadrado. No conheo a situao da Poupex, mas acho que tem coisa a, diz Valado. S o terreno em que ser erguido o empreendimento custou R$ 11 milhes.

Para o procurador do Ministrio Pblico junto ao TCU, Marinus Marsico, preciso saber se o imvel est sendo subsidiado com recursos pblicos. De acordo com a Lei 6.855 de 1980, a Fundao Habitacional do Exrcito abastecida com recursos do Oramento da Unio e contribuies de militares. Se os recursos pblicos esto sendo repassados para a fundao e de alguma forma concorreram para a construo desse imvel com preo abaixo do mercado, pode ficar caracterizada remunerao indireta, diz o procurador. J o presidente da Coohamfa considera o privilgio dado aos oficiais imoral e ilegal. A lei que rege a Fundao Habitacional do Exrcito clara. Os programas habitacionais devem priorizar os militares de baixa renda. Mas nunca sai nada, afirma Tiago Pereira da Silva. O diretor da Poupex, por sua parte, diz que em Braslia a FHE no dispe de imveis para baixa renda, mas alega que est construindo apartamentos para a classe mdia num terreno prximo cidade-satlite de guas Claras. O empreendimento feito em parceria com a construtora Paulo Octavio e ter apartamentos com preos entre R$ 300 mil e R$ 700 mil.

caserna3

Sobre Anese

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by moviekillers.com